Notícias

Projecto Vencedor de antiga aluna da FA é implementado em Aveiro

Alumnus, 16 Outubro 13

19.125 azuleijos decoram Tunel em Aveiro

Ânia Gabriel Rosa Abrantes, 29 anos, arquitecta com licenciatura e mestrado concluído na Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, venceu em 2011 o concurso de Revestimentos Cerâmicos em Espaços Públicos organizado pela Câmara Municipal de Aveiro. A obra de aplicação do revestimento em duas paredes no centro desta cidade no Túnel do Barreiro Jurássico iniciou-se em junho de 2013.

Desde 2010 a arquitecta empreendedora que "nunca esteve uma semana parada" (como refere na edição de 14/06/2013 do Diário de Aveiro) abre o seu atelier em Aveiro e desenvolve projectos de arquitectura, reabilitação e interiores.  

O princípio do projecto, de título 'Da água ao jardim', baseia-se na sua localização relativa no centro da cidade. Esta passagem sob a linha de caminho de ferro constitui uma ligação entre uma área da cidade dominada pela presença da ria, na zona da Fonte Nova, e uma área da cidade dominada pela presença de espaço verde extenso, a nascente deste eixo.

Assim, afirma-se o princípio de uma ligação, de uma passagem delimitada entre dois locais, entre a água e o jardim. As dimensões do túnel e a sua proporção física e visual, pouco confortável para a passagem a pé ou de bicicleta, convidam a uma intervenção estética que contribua para a humanização deste espaço, trazendo cor, luminosidade e adequação da escala a este espaço público.

A proposta contempla uma composição gráfica que parte do círculo com figura geométrica principal, numa variação de dimensão dentro do quadrado que é o próprio azulejo, respeitando a sua forma e a matriz do seu conjunto. Propõe-se uma sensação ilusória de movimento, de cinetismo vibrátil conseguido através do jogo da duas formas e exponenciado pelo uso de três cores, num gradiente entre azul, branco e verde, retratando as duas áreas que são ligadas pelo túnel e adequando a representação ao reduzido tempo de visualização e à distância e ao movimento do observador. Da água ao jardim, um gesto de ligação e de movimento.

Para mais informação consultar a página do Facebook @Ânia Gabriel Abrantes.arquitecta